Startups do Coworking MATRIZ desenvolvem as “Face Shield”

Foto: Daniel Castellano / SMCS

No dia 17 março deste ano, começou-se a perceber no Coworking MATRIZ, que o problema de saúde publica em função do novo coronavírus (COVID-19) havia chegado em Curitiba. Uma das empresas locada no coworking, havia realizado uma feira com 150 mil pessoas em São Paulo e os organizadores informaram que um grande número de expositores estavam com sintomas… Todas as precauções foram tomadas junto aos demais clientes e entendemos que os impactos econômicos e sociais, do que já era uma pandemia pelo mundo a fora, seria sentida em breve por todos nós.

Everton Ribeiro, um dos sócios do espaço de incubação e aceleração de startups da MATRIZ: Transistor Hacker Space, sugeriu iniciarmos gratuitamente a prototipagem de peças que iriam faltar para agentes de saúde em função do histórico na Europa e EUA principalmente.

Entre os muitos produtos e dispositivos customizados para clínicas e hospitais que começamos a entregar gratuitamente o que apareceu com maior demanda foi um EPI – Equipamento de Proteção Individual, chamado “Face Shield” que cobre totalmente o rosto dos agentes de saúde e da segurança no atendimento a emergências, como UTI, mas que neste caso, em função do formato de transmissão do COVID-19, os agentes de saúde do mundo todo tinham adotado como obrigatório em todos os procedimentos internos e que verificamos a viabilidade de construir uma parte essencial nas 11 impressoras 3D do www.transistor.space.

Contamos com o envolvimento de todos as empresas residentes na MATRIZ, mas ressaltamos Tomoka e Daiene do Saber, Isabele do Oráculo e o Diego da EVO- Filmes como empresários que transcenderam o sentido de colaboração e os limites do voluntariado envolvendo-se diariamente na montagem dos kits e nas doações financeiras.

Em seguida, para conseguir manter o fluxo de entregas buscamos recursos financeiros e foi assim que nasceu o movimento denominado ATITUDE3D (www.atitude3d.com.br) que estabeleceu um padrão para os kits, um formulário de pedidos e propôs uma vaquinha online (ver site) para subsidiar a demanda que começava a aumentar, passando dos iniciais 2mil pedidos para 13mil em uma semana.

Atualmente foram entregues 20mil kits e temos 40mil ainda para entregar, com o apoio da ACISF instigando o trabalho em grupo dos nossos antepassados italianos, atraindo voluntários que ficaram por semanas trabalhando 24h e na obtenção de acetato, do governo estadual, disponibilizando carros e vans, da ABINFER, investindo R$100mil em um molde de injeção plástico, aos soldados dos Exército Brasileiro e dos voluntários do Atitude3D, devemos realizar esta tarefa até o final do mês de Abril.